Centro de TI RITMA

RITMA significa “Rede de Inovações e Tecnologias da Maré”. Ao construir um centro de formação em TI (Tecnologia da Informação) para a educação e cultura na Favela da Maré, queremos introduzir as crianças e os jovens na TI.

Os mais jovens começam por aprender robótica através da brincadeira, usando Fischertechnik programável, “Lego WeDo” e ferramentas de programação como o “Caliope”. Na segunda fase de treinamento, os jovens são treinados para se tornarem programadores. É dada especial atenção para garantir que as crianças tenham um sólido conhecimento de matemática. Aulas de inglês, apresentação de mídia e filosofia complementam os estudos. O curso inteiro dura cinco anos. Estamos satisfeitos por termos ganho uma verdadeira luz para o projeto do Prof. Bruno Feijo da Universidade “PUC do Rio de Janeiro”. Ele é considerado um dos pioneiros da informática brasileira para o e-learning e a gamificação. Ele será o responsável pelo conteúdo do ensino.

O projeto “RITMA” não só inclui o centro de treinamento em TI, mas também representa um centro de cultura. O centro é para abrigar um cinema – uma revolução cultural na favela. A maioria dos habitantes da favela nunca visitaram um cinema em suas vidas. Para planejar a experiência da melhor maneira possível, conversamos com o fundador do primeiro cinema digital do Brasil, Ponto Cine. Esta instituição também está comprometida com a população pobre e já adquiriu uma valiosa experiência com as suas atividades cinematográficas. Arquitetos e engenheiros de estruturas estão na fase de planejamento final. A expansão do centro deverá começar em meados de 2019, após o concurso para os negócios individuais e a adjudicação do contrato de construção. Estamos ansiosos para relatar mais sobre a transformação do pavilhão da fábrica no novo ano.

RITMA: Como o centro de informática se tornou um centro de cuidados médicos

 

Na verdade, o planejamento do centro de informática RITMA na Favela Maré, no Rio de Janeiro, parecia bem diferente no início do ano. As propostas para as obras de construção estavam previstas. No entanto, a pandemia e a intensidade da propagação do vírus alteraram este plano. Faltavam as instalações para os cuidados de saúde. Rédes da Maré – nosso parceiro local de longa data – esteve em contato com o Ministério da Saúde por causa da situação de emergência na favela. Quando a IRESO soube que representantes do secretariado consideraram o RITMA adequado para a criação de um centro de atendimento comunitário, a iniciativa foi imediatamente apoiada por nós.

Médicos e enfermeiros trabalham lá desde de maio de 2020. Num país onde são feitos dez vezes menos testes do que na América, embora o mesmo número de infecções seja registrado todos os dias, a iniciativa pode parecer uma gota no oceano para alguns. No entanto, estamos orgulhosos de nosso parceiro ter chegado à frente nesta luta e de os moradores da favela terem tido acesso a testes, análises e diagnósticos.

NOSSOS PARCEIROS DE PROJETO NO LOCAL

Nosso parceiro do projeto na favela da Maré, no Rio de Janeiro, é a „Redes da Maré“, uma organização não governamental (ONG) brasileira criada no próprio complexo da “Maré”. Cerca de 130.000 pessoas vivem na Maré em uma área de aproximadamente 5 km². Em 2003, a Dra. Eliana Souza Silva, atual diretora, fundou o centro social “Redes da Maré” na comunidade “Nova Holanda”. O seu objetivo é fortalecer a sociedade civil através da educação, formação profissional e atividades comunitárias.

Estes parceiros forneceram financiamento para o projeto

“Preparação Vocacional“ em 2018:

AJUDE-NOS E DÊ UMA OPORTUNIDADE ÀS CRIANÇAS DESFAVORECIDAS!